Politécnico de Coimbra aposta na cooperação com parceiros chineses

08 Outubro 2019 | 16:45h

Em visita a Yantai (China), o Politécnico de Coimbra estabeleceu acordos de cooperação com instituições científicas e académicas chinesas, nomeadamente com a Universidade de Ludong e com o Centro Tecnológico de Yantai. Estas parcerias desenvolvem-se no contexto do projeto Erasmus+ UNISON – “University-entreprise cooperation via Spin-off companies network”, onde o Politécnico de Coimbra está integrado num consórcio de universidades internacionais, dando formação e apoiando o desenvolvimento de competências na promoção de spin-off.

O protocolo com a Universidade de Ludong tem como objetivos realizar atividades de colaboração em áreas académicas de interesse mútuo, através do intercâmbio de docentes, investigadores, staff administrativo e de estudantes, e ainda desenvolver projetos de investigação em colaboração e realizar palestras, seminários, conferências e simpósios. Segundo Rui Costa, investigador e docente da Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC-IPC), e investigador responsável do projeto no IPC, existe particular interesse nos projetos desta universidade que envolvem cogumelos, vinho e maçã, uma vez que a instituição está inserida numa área geográfica com características semelhantes às de Portugal.

Com o centro tecnológico Yantai High-Tech internacional scientific and technological cooperation Co., Lda., o protocolo assinado visa uma maior ligação a empresas chinesas, no campo da investigação, e a promoção da cooperação nos campos da ciência, tecnologia, cultura e educação. O centro apoiará a promoção dos projetos científicos e tecnológicos do Politécnico de Coimbra na busca de parceiros de colaboração, e facilitará a cooperação com parceiros chineses nas áreas da ciência e tecnologia, cultura, educação.

O projeto UNISON pretende identificar dificuldades e constrangimentos na relação entre empresas spin off e Instituições de Ensino Superior, contribuindo, entre outros aspetos, para a definição de mecanismos de transferência de conhecimento e tecnologia mais claros, os quais se espera que se traduzam em novas oportunidades e dinâmicas de trabalho conjunto. O projeto tem como objetivo último dar os primeiros passos para a criação de uma rede internacional de empresas spin off, envolvendo países como Portugal, Espanha, Rússia, Alemanha, China e Geórgia.

Galeria