“Erasmus+ Global Week” juntou 22 países e debateu nova geração de programas europeus

28 Maio 2019 | 11:45h

O Politécnico de Coimbra promoveu a “Erasmus+ Global Week”, uma semana internacional que recebeu mais de 60 participantes, entre professores e responsáveis de Relações Internacionais, provenientes de 22 países, de 44 instituições de ensino superior.

Esta 3ª edição decorreu de 20 a 24 de maio, com o objetivo de fortalecer os laços com os atuais parceiros e explorar novas parcerias, a par da discussão dos desafios globais da internacionalização do ensino superior da próxima década.

Segundo Maria João Cardoso, Pró-Presidente e Coordenadora institucional das Relações Internacionais do IPC, tratou-se de “uma semana de intenso debate de problemáticas comuns e de procura de soluções e oportunidades num ambiente multicultural de partilha de conhecimentos e boas práticas”.

A iniciativa pretendeu “projetar a qualidade e diversidade da instituição no mundo”, e “proporcionar uma excelente ocasião a toda a comunidade do IPC, estudantes, docentes e funcionários, para explorarem oportunidades de internacionalização”. Foi também uma oportunidade para trabalhar com os parceiros a temática relativa à próxima geração de programas europeus que entrarão em vigor em 2021, e que constituem o quadro de referência para o desenvolvimento da cooperação internacional.  “Conhecer e debater os aspetos mais relevantes das propostas da Comissão Europeia, é fundamental para podermos antecipar caminhos e preparar o futuro”, referiu a responsável.

O programa teve como destaques uma Conferência Internacional, coorganizada com a Agência Nacional Erasmus+, onde se discutiram os próximos programas europeus, com a presença do secretário geral da EURASHE, Associação Europeia das Instituições de Ensino Superior, família europeia das Universidades de Ciências Aplicadas de que o IPC faz parte. A conferência foi aberta a outras instituições tendo ficado demonstrada a relevância do evento pela presença, para além dos participantes, de mais de uma dezena de IES portuguesas. O interesse da problemática teve um segundo ponto alto no dia dedicado aos Workhops, com a primeira apresentação em Portugal do projeto “Erasmus Without Paper”, projeto de digitalização dos processos de mobilidade, que será alargado, e de aplicação obrigatória, com a entrada em vigor dos novos programas a partir de 2021.

Em relação ao ano passado, a participação internacional alargou para fora da União Europeia e Brasil, com a participação de instituições com as quais o IPC tem projetos internacionais e que são originárias de países como o Azerbaijão, a Geórgia, a Federação Russa ou a Arábia Saudita. Os participantes da “Erasmus+ Global Week” são essencialmente dirigentes e responsáveis das Relações Internacionais das várias instituições, e também professores europeus que vêm realizar as suas missões de ensino ao Politécnico de Coimbra. Algumas destas participações são resultantes de projetos internacionais em curso.

A par destas iniciativas de discussão realizou-se um Feira Internacional, local de “networking” para o contacto direto entre visitantes e as Relações Internacionais dos vários parceiros presentes e decorreu um programa de visitas culturais.