Violência e sinistralidade nos jovens de Coimbra associada a consumos de álcool e drogas em debate com Comandante da PSP de Coimbra

24 Maio 2019 | 19:30h

O Comandante do Comando Distrital da PSP de Coimbra, Rui de Moura, foi o orador convidado da II Tertúlia dos SASIPC (Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Coimbra), que decorreu no dia 22 de maio na Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC - IPC), com a presença de alunos, docentes e não docentes.

O tema da sessão foi a “Violência e sinistralidade nos jovens de Coimbra associada a consumos de álcool e drogas”, e em cima da mesa estiveram os mitos que existem à volta deste tema e as soluções mais adequadas para os jovens adotarem.

O Administrador dos SASIPC, Professor João Lobato, começou por enquadrar a iniciativa num conjunto de ações realizadas por este Serviço, em que se pretende proporcionar encontros informais para abordar “temas preocupantes no meio académico”, aproveitando para agradecer a adesão da comunidade escolar às mesmas.

O Comandante Distrital de Coimbra da PSP abordou alguns mitos relacionadas com o consumo de álcool e drogas, nomeadamente ao nível da desinformação geral a que se assiste na sociedade em geral, à idade do consumidor e às diferenças entre criminalização e a contraordenação.

Rui Moura garante que o maior problema a combater é a desinformação da sociedade relativamente a estes temas, e que “o consumo de álcool e drogas é um problema social” que deve ser considerado prioritário.

Com questões diretas à plateia, em específico aos mais jovens, Rui Moura acabaria por desmistificar algumas ideias, sobretudo aquelas que apontam como permitido o consumo de drogas, o que está dependente da quantidade. “É tão proibido consumir drogas como é proibido estacionar em cima de passeios”, comparou, ao explicar que “o desagravamento criminal” até determinada quantidade “não deu direito a legalização”. Esta alteração na legislação leva a algumas falsas ideias, e mesmo os pais estão, muitas vezes, convencidos que certos comportamentos são permitidos.

No que diz respeito ao consumo de álcool, um dos aspetos abordados foi o facto de que o consumo de álcool só é permitido a maiores de 18 anos, mas a entrada nos estabelecimentos de diversão noturna é possível a partir dos 16 anos, o que levanta problemas. Junta-se a estes exemplos o fenómeno da internet, que permite a realização de encomendas de droga ao domicílio.

Como soluções, o responsável defende a prevenção em primeiro lugar e a definição de políticas públicas estratégicas e duradouras, dando como exemplo positivo o projeto “Noite Saudável” que inclui várias entidades da região Centro, incluindo a PSP, elaborado por pessoas que conhecem a realidade local. A tertúlia terminou com um pequeno debate, onde o público colocou questões ao Comandante da PSP.

Galeria