Organização e Animação em Campos e Colónias de Férias

Conhecimentos de Base Recomendados

N/A

Métodos de Ensino

•A metodologia a adotar, será uma metodologia ativa e vivencial.
•De forma a melhor poderem incorporar as dinâmicas específicas a uma colónia/campo de férias, optou-se por organizar a unidade como um curso intensivo, essencialmente prático-experimental, num contexto, onde regularmente são realizadas estas atividades.
•Assim, procuramos proporcionar aos formandos, as rotinas e as dinâmicas específicas de um campo de férias, bem como, a vida quotidiana de um animador neste contexto.
•A avaliação implicará a participação nas atividades práticas. A avaliação final será constituída por: Participação = 10%| AEC = 10%|Trabalho Teórico = 10%|Prática =50%|Elaboração de elementos suporte e registo da prática = 20%
•A avaliação por exame, consiste na aferição de conhecimentos aprofundados sobre os diferentes conteúdos teóricos e práticos trabalhados. Os alunos deverão conhecer os projetos e atividades desenvolvidos pelos colegas e as respetivas avaliações e reflexões.

Resultados de Aprendizagem

•Perceber o potencial dos Campos de Férias como potencial recurso pedagógico, enquanto parte de uma atividade educativa permanente;
•Aperceber-se do percurso histórico e do lugar, que as atividades de tempos livres e de lazer, ocupam na sociedade;
•Associar aos campos e colónias de férias, uma dinâmica própria de funcionamento;
•Perceber a relação existente entre projeto de trabalho e programa de atividades;
•Analisar sob diversos aspetos, a relação das diferentes equipas de trabalho, com campo de férias como um todo;
•Adquirir a noção da importância e da responsabilidade, quando assume a responsabilidade de liderar uma equipa;
•Adquirir algumas técnicas de animação no domínio lúdico e das expressões com vista a estimular a expressividade e a criatividade;
•Adquire noções técnicas de planificação, organização de atividades, orientação.

Programa

1. O Enquadramento social e histórico dos campos de férias;
2. Os campos férias como importante contexto socioeducativo;
3. Tipologias de atividades;
4. Técnicas e recursos educativos;
5. Elaboração de programas educativos;
6. A vida quotidiana de um animador/monitor no Campo de Férias – papel e funções;
7. Dinâmica de Grupos;
8. A preparação, organização, dinamização e orientação do grupo;
9. Dispositivos pedagógicos geradores da co-responsabilização, autonomia e autogestão.
10. Prevenção e segurança nas atividades

Docente(s) responsável(eis)

Métodos de Avaliação

Avaliação contínua
  • - Assiduidade e Participação - 10.0%
  • - Elaboração de Elementos de Suporte - 20.0%
  • - Trabalho de síntese - 10.0%
  • - Trabalho Individual e/ou de Grupo - 50.0%
  • - Atividades de Enriquecimento Curricular - 10.0%
Exame
  • - Exame - 100.0%

Estágio(s)

NAO

Bibliografia

AUGUSTIN, Jean-Pierre; Gillet, Jean-Claude,(2000). “L’ Animation Professionnelle – Histoire, acteurs, enjeux”. Paris, L’Harmattan.
BESNARD, Pierre, (1991) La animación Sociocultural. Madrid: Narcea
CABANAS, Quintana (1989).Fundamentos de La Animación Sociocultural, Madrid: Popular, Cap. I;
CANÁRIO, Rui (Org.). (2007). “Educação Popular & Movimentos Sociais”. Lisboa, Educa-Fac. Psic. e Ciênc. da Educação.
GILLET, Jean-Claude (2006). “La animación en la comunidad – Un modelo de animación socioeducativa”.
LEAL, António, (2004).’ Contextualização histórica e social da Animação sociocultural’. Coimbra: ESEC.
LOPES, Marcelino, 2006. A Animação sociocultural em Portugal. Chaves: Intervenção.
TRILLA, Jaume. (1998). Animacióm Sociocultural: Teorias, Âmbitos e Programas. Barcelona: ARIEL.
VENTOSA, Victor J. (2004).”Métodos Activos y Técnicas de Participación – para educadores y formadores”. Madr
VENTOSA, Victor, (1990). Fuentes de la Animación sociocultural en Europa, Madrid: Popular.