Envelhecimento e Actividade Física

Conhecimentos de Base Recomendados

N/A

Métodos de Ensino

A formação está orientada no sentido da integração dos saberes teóricos (T)  com o saber fazer prático (P), presentes em quase todas as aulas (TP).  Os alunos desenvolvem diversas actividades e trabalhos que simulam situações de intervenção profissional.

A presente uc é de avaliação exclusivamente contínua/frequência que inclui os seguintes elementos:

Elemento 1 (40%) – Trabalhos teórico-práticos (TTP) (40 a 80 pontos);

Elemento 2 (40%) – Testes escritos (40 a 80 pontos);

Elemento 3 (20%) – Participação presencial nas aulas.

A classificação é obtida pelo somatório dos resultados nos 3 elementos, mas classificações negativas nos elementos 1 e 2 (inferiores a 40 pontos) contam zero (0) pontos no somatório dos 3 elementos.

O exame de recurso tem como condição de admissão a obtenção do mínimo de 40 pontos no elemento 1 (TTP), e constará de uma prova teórica (100 pontos) e uma prova prática (100 pontos). Para aprovarem os alunos terão de obter pelo menos 50 pontos em cada uma das provas.

Resultados de Aprendizagem

1. Aquisição de saberes teóricos sobre conceitos, enquadramento demográfico e teorias explicativas do processo de envelhecimento na espécie humana.

2. Aquisição de conhecimentos teóricos sobre os efeitos do envelhecimento e da exercitação física na motricidade, saúde e bem-estar das pessoas idosas.

3. Aquisição de conhecimentos teóricos e práticos sobre a organização adequada de exercícios e atividades físicas para pessoas idosas (avaliação da condição física de pessoas idosas, programação e planeamento de atividades físicas, orientação das atividades físicas em contextos de grupos e de forma individualizada).

Programa

1. Conceitos sobre envelhecimento humano, envelhecimento ativo e envelhecimento bem sucedido. Contributos da actividade física para o bem-estar das pessoas idosas.

2. Teorias, com fundamentação biológica, sobre a explicação dos processos biológicos que ocorrem durante o envelhecimento humano.

3. Efeitos do envelhecimento humano a nível motor, anatómico e fisiológico.

4. Patologias que afetam a saúde, bem-estar e mobilidade das pessoas idosas.

5. Efeitos do treino físico regular nos idosos, na aptidão motora e no desenvolvimento de patologias com grande prevalência na terceira idade.

6. Princípios e modelos metodológicos para a observação, planeamento e orientação de sessões de atividade física desportiva adequadas a pessoas idosas.

7. Avaliação da condição física de pessoas idosas e seleção de exercícios físicos e atividades físicas adequadas a pessoas idosas.

Docente(s) responsável(eis)

Métodos de Avaliação

Avaliação Contínua
  • - Trabalho Individual e/ou de Grupo - 40.0%
  • - Mini Testes - 40.0%
  • - Assiduidade e Participação - 20.0%
Exame
  • - Componente Prática - 50.0%
  • - Componente Teórica - 50.0%

Estágio(s)

NAO

Bibliografia

Baptista, M., & Correia-Pinto, J. (s.d.). Fisiologia: Fisiologia do Envelhecimento. Escola de Ciências da Saúde.

Berger, L., Poirier, M., & Danielle (1995). Pessoas idosas: uma abordagem global. Lisboa: Lusodidacta.

Christiansen J., & Grzybowski J. (2000). Biology of aging: an introduction to the biomedical aspects of aging. New York: McGraw Hill.

Dias, G., & Mendes, R. (2013). Atividade Física para a Terceira Idade. Coimbra: ESEC.

Pont Géis, P. (2003). Atividade Física e Saúde na Terceira idade. Teoria e prática. Porto Alegre: Artmed Editora.

Pont Géis, P., & Rubi, M. (2003). Terceira Idade. Atividades criativas e recursos práticos. Porto Alegre: Artmed Editora.

Robert, L. (1994). O envelhecimento. Lisboa: Instituto Piaget.

Spirduso, W., Francis K., & MacRae, P. (2005). Physical Dimensions of Aging. Champaign: Human Kinetics.

Taylor A., & Johnson M. (2008). Physiology of Exercise and Healthy Aging. Champaign: Human Kinetics.