Proteção Contra Pragas, Doenças e Infestantes

Conhecimentos de Base Recomendados

Não há conhecimentos de base recomendados. 

Métodos de Ensino

Para a concretização dos objetivos da Unidade Curricular e a aquisição das competências previstas, o processo de ensino aprendizagem assenta:
a) Em aulas de apresentação e discussão de conceitos teóricos, pelo docente e pelos estudantes;
b) Em aulas de campo realizadas na exploração da ESAC onde os alunos contactam com os inimigos das
culturas e desenvolvem diferentes técnicas de estimativa do risco;
c) Em aulas laboratoriais com desenvolvimento de metodologias para identificação e quantificação dos
inimigos e auxiliares detetados na estimativa do risco;
d) No desenvolvimento de pesquisa bibliográfica sobre temas no âmbito a Unidade Curricular e posterior
realização de apresentações pelos estudantes;
e) Elaboração de uma componente prática através de três trabalhos interligados. No primeiro é elaborado o livro de campo que vai servir para a recolha de dados. O segundo trabalho é feita uma pesquisa bibliográfica sobre o tema (e.g. ciclos de vida de pragas e doenças e respetivos meios de proteção), por fim o terceiro trabalho integra os resultados, e faz a sua discussão no formato de painel.

Resultados de Aprendizagem

Os objetivos a alcançar na UC são que os estudantes adquiram os conhecimentos que lhes permitam desenvolver as seguintes competências: 1. Conhecer as medidas de proteção das culturas contra pragas, doenças e infestantes compatíveis com a agricultura biológica; 2. Ter capacidade para tomar decisões sobre quais as medidas mais apropriadas para resolução de problemas em situações concretas e para as aplicar.

Programa

1. Princípios e componentes da protecção sustentável das culturas.

2. Metodologias de monitorização dos inimigos das culturas e de avaliação do risco.

3. Medidas indirectas de luta contra os inimigos das culturas.

4. Medidas directas de luta alternativas aos produtos fitofarmacêuticos.

5. A utilização sustentável dos produtos fitofarmacêuticos.

6. A utilização de produtos fitofarmacêuticos autorizados em agricultura biológica.

7. Legislação sobre produtos fitofarmacêuticos e sua aplicação.

Docente(s) responsável(eis)

Métodos de Avaliação

Avaliação contínua
  • - Frequência - 50.0%
  • - Trabalho Individual e/ou de Grupo - 50.0%
Exame
  • - Exame - 100.0%

Estágio(s)

NAO

Bibliografia

A.C.T.A. (1991) Les auxiliaires. Ennemies natureles des ravageurs des cultures. Paris.

AMARO, P. (2003) A Protecção Integrada. ISA Press.

CUNHA, M.J.; CASAU, F.; AMARO, R. e OLIVEIRA, A. (2005) Tecnologias Limpas em Agro-Pecuária. Colecção Agricultura e Ambiente. Sociedade Portuguesa de Inovação.

FERREIRA, J.C. (Coord.). (2012) As Bases da Agricultura Biológica Tomo I – Produção Vegetal. EDIBIO. Lisboa.

FRESCATA, C. (2004) Protecção contra pragas sem luta química. Colecção AGRO. Publicações Europa-América.

MOREIRA, I.; BOULET, C.; ZARAGOZA, C.; TALEB, A. (1986) Ervas daninhas das vinhas e pomares. I.S.A. Lisboa.

SIMÕES, J.S. (2005) Utilização de Produtos Fitofarmacêuticos na Agricultura. Colecção Agricultura e Ambiente. Sociedade Portuguesa de Inovação.

Regulamento (UE) 2018/848 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 30 de maio de 2018, relativo à produção biológica e à rotulagem dos produtos biológicos e que revoga o Regulamento (CE) n.o 834/2007 do Conselho (OJ L 150 14.06.2018, p. 1, CELEX: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=CELEX:32018R0848)

Regulamento Delegado (UE) 2021/1189 da Comissão de 7 de maio de 2021 que completa o Regulamento (UE) 2018/848 do Parlamento Europeu e do Conselho no que diz respeito à produção e comercialização de material de reprodução vegetal de material biológico heterogéneo de géneros ou espécies específicos (Texto relevante para efeitos do EEE) (OJ L 258 20.07.2021, p. 18, ELI: http://data.europa.eu/eli/reg_del/2021/1189/oj)