Observatório de Ação Social estimula estudos e melhoria das respostas à comunidade

Os Serviços de Ação Social do Politécnico de Coimbra (SASIPC) criaram recentemente o ObservAS – Observatório de Ação Social. Trata-se de uma estrutura de natureza consultiva vocacionada para o apoio técnico-científico aos SASIPC, e tem por missão acolher e estimular a realização de estudos no âmbito das políticas de ação social do IPC, com vista a incorporar os resultados na definição das suas linhas de atuação, numa orientação para a melhoria contínua das respostas que oferece visando o bem-estar da sua comunidade académica.

Pretende-se que o ObservAS-IPC seja visto como um instrumento para orientação das decisões políticas e propostas de melhoria dos SASIPC, habilitando estes Serviços para dar uma resposta adequada às reais necessidades da comunidade académica e com capacidade de antecipação às mudanças que marcam este contexto de intervenção. A apresentação pública do ObservAS teve lugar no dia 31 de maio.

Segundo João Lobato, administrador dos SASIPC, num tempo em que a prática na ação social no ensino superior está já para além de um modelo assistencialista, “assume-se cada vez mais a necessidade de uma abordagem multidimensional numa perspetiva holística, focalizada no bem-estar do estudante”, com políticas que garantam um maior acesso, uma frequência académica bem-sucedida, uma plena integração e inclusão, em igualdade de oportunidades a todos os discentes, através de um conjunto de apoios, serviços e de ações de distinta natureza.

Para João Lobato, esta mudança de paradigma concorre para que a ação social no ensino superior continue a constituir “um pilar prioritário de promoção da igualdade de oportunidades e da equidade social”, especialmente num momento em que os estudantes e as instituições de ensino superior enfrentam novos e complexos desafios. Assim, acrescenta, o IPC propõe-se criar “uma nova entidade que vai agregar o conhecimento multidisciplinar e aplicado que gera à realidade e desafios específicos da sua comunidade estudantil”.

A Comissão Coordenadora do ObservAS é constituída por cinco membros, nomeados pelo presidente do IPC, sendo coordenadora Joana Lobo Fernandes, docente do IPC. Para mais informações sobre a atividade do ObservAS, visite a página https://www.ipc.pt/ipc/acao-social/observatorio/ ou contacte através do email observas@ipc.pt.

 

In Jornal do IPC n.º 16

TESTEMUNHOS

João Pedro Gaspar

Coordenador da Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (Ex)acolhidos

“A transição para o Ensino Superior pode estimular uma fase entusiasmante, com positivas repercussões futuras, mas pode igualmente potenciar desigualdades que importa acautelar. Atendendo ao foco do ObservAS, acredito que contribua decisivamente para implementar estratégias que fomentarão o Humanismo”.

 

Patrícia Almeida

Assistente Social dos SASIPC

“Considero um privilégio ter contribuído para a edificação desta estrutura, esperando que a capitalização de saberes multidisciplinares a possam, em breve, transformar num recurso científico válido passível de influenciar positivamente as políticas de gestão nos domínios de atuação dos SASIPC”.

 

Joana Lobo Fernandes

Docente da ESEC

“Integrar o ObservAS é a oportunidade de ver acontecer um espaço de encontro de preocupações e prioridades partilhadas no IPC, e de colocar a investigação aplicada que fazemos orientada para o bem-estar de todos os estudantes.”

 

Helena Moura

Psicóloga dos SASIPC

“Para mim, como aprendiz de psicologia, o ObservAS só será importante na medida em que tocar e mudar a vida dos estudantes. Por isso devemos “observar para conhecer”, “observar para transformar”, “observar para acolher e receber bem” os nossos jovens, procurando contribuir para que sejam seres humanos mais felizes e realizados”.

 

Joana Santos

Docente da ESTeSC e Provedora do Estudante do IPC

“O ObservAS proporciona a criação de estudos que caracterizam os estudantes do IPC. Conhecendo as suas vivências, realidades e preferências é possível planear e melhor promover o bem estar social da comunidade estudantil”.