Programa BAAS permite aos estudantes desenvolver atividades no IPC e conciliar os estudos

A Bolsa de Atividades de Apoio Social (BAAS) consiste num Programa de apoio do Politécnico de Coimbra, dirigido aos seus estudantes, possibilitando-lhes a realização de atividades a tempo parcial em Unidades Orgânicas (UO) e Serviços do IPC obtendo uma bolsa social individual, complementar aos diversos formatos de apoio sociais diretos e indiretos.

A gestão e avaliação do BAAS é da competência dos Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Coimbra (SASIPC). Segundo João Lobato, administrador dos SASIPC, esta Bolsa tem como objetivos “possibilitar aos estudantes a aquisição e desenvolvimento de competências transversais, promover a integração social e académica, facilitar a integração no mercado de trabalho, possibilitando-lhes um primeiro contacto com a atividade profissional e contribuir para a diminuição do abandono escolar, ao mesmo tempo que reforça a ligação entre os estudantes e o IPC”.

O apoio do BAAS constitui-se num valor de uma bolsa a atribuir, que não poderá exceder o Indexante dos Apoios Sociais (IAS)/mês, isto é 438,81 €/euros/mês (para o ano letivo de 2020/2021), nem exceder as 25 horas semanais de atividade, podendo assumir a forma de bolsa pecuniária, senhas de refeição válidas na unidade de alimentação e nutrição (cantinas) dos SASIPC, pagamento do alojamento nas residências dos SASIPC ou contribuição no pagamento de propinas.

O tipo de atividades de Apoio Social que o estudante pode desempenhar depende da oferta disponível nas Escolas ou nos Serviços do IPC que as propõem. Durante o ano letivo de 2019/2020, os estudantes que receberam bolsas BAAS exerceram funções na receção do Ginásio do IPC e na receção e vigilância do Centro Cultural do Penedo da Saudade, colaborando também nos serviços financeiros do IPC, nas cantinas e cafetarias dos SASIPC, no Gabinete de Comunicação e Relações Públicas da ESEC, na área de Comunicação dos SASIPC, na manutenção e higienização nas Residências e no setor de Horticultura Biológica da ESAC.

A divulgação do BAAS está patente na página eletrónica dos SASIPC, onde os estudantes interessados em candidatar-se a esta Bolsa podem consultar periodicamente, ao longo do ano letivo, a oferta de atividades através da publicação de Editais, podendo solicitar para serem notificados sempre que surja uma nova atividade.

O regulamento está disponível no seguinte link: https://www.ipc.pt/ipc/acao-social/bolsas/bolsa-de-atividades-de-apoio-social-baas/.

A atribuição desta Bolsa pressupõe a assinatura de um Acordo para o desempenho da atividade, sendo os estudantes sujeitos a avaliação. No final da mesma, o estudante recebe um Certificado para efeito de suplemento ao diploma.

 

Inquérito revela satisfação dos estudantes

Apesar dos constrangimentos que marcaram o ano letivo 2019-2020, o Programa BAAS foi frequentado por 154 estudantes, tendo 68% manifestado a sua opinião através de um inquérito de avaliação da satisfação realizado pelos SASIPC. Neste verifica-se que os inquiridos realçam a importância da Bolsa na aquisição de novas competências, na garantia da continuidade dos estudos e na contribuição para uma futura integração no mercado de trabalho. O apoio financeiro, o trabalho em equipa e a aquisição de novas competências pessoais foram os três itens mais considerados na opinião dos estudantes, no que concerne aos aspetos mais satisfatórios do BAAS.

Testemunhos

Patrícia Isabel Marques

Estudante

A importância destas atividades (BAAS) no meu caso pessoal é a capacidade que se retira pela convivência com diferentes tipos de pessoas, sejam estas as da equipa de atividade em que estamos inseridos, como com as pessoas com quem se lida na respetiva atividade. Esta preparação ajuda a desenvolver a capacidade de comunicação e resolução de problemas que atualmente é requerido como uma mais-valia no mercado de trabalho. Treina também o sentido de responsabilidade (…)

Existe também a vertente económico-financeira que é sem dúvida nenhuma um auxílio que nos faz sentir úteis e parte de uma sociedade sem que se sinta a “culpa” de apenas estar a receber, mas, também a dar. É no fundo um sentimento de pertença a uma instituição que é o Politécnico de Coimbra. Em suma, é uma experiência francamente positiva que nos dá ferramentas para a vida toda.

 

Michael Penhor

Estudante

O meu testemunho sobre o impacto que tem ou teve acerca da integração do BAAS é deveras impressionante, uma vez que desenvolvi capacidades cognitivas a nível social e pessoal.

Posso dizer que também profissionalmente (uma vez que temos contacto com outras pessoas) tem um grande impacto, visto que temos que aprender todos os dias a resolver diferentes situações imprevisíveis.

A nível académico, tem um grande impacto, porque temos que ser organizados, temos que saber ser autónomos e perspicazes e enquanto pessoa, pensar sempre fora da caixa, sendo que a ajuda entre colegas e funcionários, está muito presente.

A mais-valia é a integração, o desenvolvimento comportamental, social, cognitivo e psicológico.

Além de ser um projeto que nos ajuda com a bolsa, ajuda-nos a ter esperanças e a não desistir.

Ao estar no BAAS ganhamos experiência como aprender a fazer, aprender a resolver, aprender a encontrar soluções, aprender a ter uma boa aparência, aprender a ser organizado, a pensar nos outros e a aprendemos a ter uma realidade de que nada cai do céu, ou seja, temos que trabalhar para poder ter, ou atingir, os patamares que defendemos, aprendendo a gerir conflitos, algo muito importante.

 

Gil Miranda

Estudante

Das necessidades nascem empreendedores, mas antes disso terá que nascer uma oportunidade para que possamos provar que mesmo com necessidades conseguimos alcançar os nossos objetivos. O programa BAAS foi a minha grande oportunidade de empreendedorismo social, pessoal, de sucesso académico pleno e de experiência profissional no ensino superior.

 

Cristina Faria

Diretora do Centro Cultural Penedo da Saudade

O programa de BAAS tem sido essencial para o funcionamento do Centro Cultural Penedo da Saudade. Os estudantes são, para os visitantes, a “cara” deste Centro Cultural e tem sido muito gratificante poder contar com a sua presença e com o seu trabalho.

Penso que, tanto nós como eles, sentimos que esta colaboração tem sido benéfica quer para o Centro Cultural, quer para os próprios estudantes que vão passando por aqui e que acabam por ter oportunidade de contacto com a Cultura e as Artes que, de outra forma, não teriam, para além de desenvolverem algumas competências profissionais e sociais.

 

Ana Paula Baeta

Responsável das Cantinas e Cafetarias dos SASIPC

A BAAS, na minha ótica, é muito mais do que um apoio financeiro. Estes anos de experiência com estudantes neste programa têm-me permitido observar o quanto ele é uma mais-valia em termos de desenvolvimento e consolidação de competências.

Nestas, destaco as competências comunicacionais, relacionais, espírito de missão, responsabilidade e compromisso com objetivos, o que lhes permite lidar muito melhor com os desafios inerentes aos diferentes processos de transição da vida académica para a vida profissional.

 

Maria João Jacob

Membro da Comissão de Análise e Gestão do BAAS (SASIPC)

O programa BAAS é um dos apoios mais abrangentes do IPC, uma vez que além de permitir o apoio financeiro aos estudantes, que em muitas situações evita o abandono escolar, proporciona-lhes a aquisição de aptidões pessoais e sociais, imprescindíveis nas futuras atividades profissionais.

 

In Jornal do IPC n.º 10