Green Deal – Economia Circular

O Politécnico de Coimbra faz parte do projeto piloto Centro Green Deal que visa incrementar a circularidade nas compras públicas e é promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), cujo protocolo foi assinado por 14 entidades regionais no dia 10 de abril de 2019.

As compras públicas circulares apresentam-se como um processo que permite às entidades públicas adquirir produtos, bens e serviços que tenham um impacto ambiental reduzido, procurando a diminuição de consumos de energia e materiais, evitando os impactos negativos e a produção de resíduos ao longo de todo o ciclo de vida.

Trata-se de um projeto inspirado nos Green Deals desenvolvidos na Holanda, integrado na Agenda Regional de Economia Circular do Centro. O projeto conta com o apoio de uma equipa de peritos em compras públicas circulares pertencentes ao Ministério das Infraestruturas e Gestão da Água do Governo Holandês e será objeto de atenção por parte de consultores da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), no contexto de uma ação piloto de Compras Públicas Estratégicas promovida pela Comissão Europeia.

Na base do protocolo assinado está prevista a seleção de dois processos de compras públicas por cada entidade, a serem lançados de acordo com os princípios da economia circular, integrando uma rede constituída pelas demais entidades signatárias do acordo, com o objetivo de partilhar experiências e aprender numa base colaborativa.

O primeiro projeto piloto do Politécnico de Coimbra foi a aquisição de garrafas de vidro 100% Reutilizáveis e Recicláveis para os novos estudantes da Instituição, sem quaisquer embalagens de plástico, transportadas num único veículo e entregues numa única vez, para evitar emissões desnecessárias, bem como produzidas com materiais e artigos destinados a entrar em contacto com os alimentos, tendo em conta a Declaração de Conformidade do Regulamento (CE) n.º 1935/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de outubro de 2004.

O segundo foi “O Jornal Politécnico de Coimbra”, impresso em formato frente e verso, em papel com a certificação Forest Stewardship Council (FSC) que garante a sua proveniência de uma floresta gerida de forma responsável, com recurso a tintas que têm em conta o cumprimento da certificação da norma europeia EN71/3 da Comunidade Económica Europeia. Além disso, os jornais são cintados com papel com as mesmas características do jornal, ao invés de serem embalados com recurso a invólucro de plástico, e cada edição é entregue nos CTT e nos Serviços Centrais do Politécnico de Coimbra numa única deslocação, reduzindo-se, assim, as emissões poluentes associadas ao seu transporte.

Entretanto, mais projetos estão a ser preparados.