Perguntas frequentes

NOTA IMPORTANTE:

As informações disponibilizadas abaixo não dispensam a leitura do Estatuto do Estudante Internacional [Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 de março, alterado pelo Decreto-lei nº62/2018, de 6 de agosto], nem dos regulamentos em vigor no Politécnico de Coimbra.

 

 

Que requisitos preciso reunir para ser considerado Estudante Internacional?

–  Não ter nacionalidade Portuguesa ou de um Estado Membro da União Europeia;

–  Não ser familiar de nacionais de um Estado Membro da União Europeia, independentemente da sua nacionalidade, sendo considerado familiar para o efeito:

a. Cônjuge de um cidadão da União Europeia;

b. Parceiro com quem o cidadão da União Europeia vive em união de facto, constituída, nos termos da lei ou com quem o cidadão mantiver uma relação permanente, devidamente certificada pela entidade competente do Estado membro onde reside;

c. Descendente direto com menos de 21 anos de idade ou que esteja a cargo de um cidadão de um Estado membro da União Europeia, assim como o do cônjuge ou do parceiro definido na alínea anterior;

–  Não ser beneficiário em 1 de janeiro do ano em que pretende ingressar no ensino superior do estatuto de igualdade e deveres do tratado internacional outorgado entre o Estado Português e o Estado em que são nacionais;

–  Não residir em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 1 de janeiro do ano em que pretende ingressar.

 

Se tiver dupla nacionalidade (em que uma delas é portuguesa), posso candidatar-me pelo Concurso Especial de Acesso e Ingresso para Estudantes Internacionais?

Não. Neste caso, a nacionalidade que prevalece é a Portuguesa, sendo que terás de ingressar no Politécnico de Coimbra por uma das vias disponíveis para os estudantes nacionais.

 

No caso de ter mais do que uma nacionalidade, em que uma delas corresponde à nacionalidade de um país da União Europeia – exceto Portugal, posso candidatar-me pelo Concurso Especial de Acesso e Ingresso para Estudantes Internacionais?

Apenas poderás candidatar-te a este concurso se comprovares que a tua residência habitual não é em Portugal nem em outro país da União Europeia.

 

O Politécnico de Coimbra reconhece o ensino médio como equivalente ao ensino secundário Português?

Sim, reconhece.

 

O Politécnico de Coimbra reconhece o ENEM para candidatura aos seus cursos de licenciatura? Qual o período de validade do ENEM?

Sim, reconhece, desde que tenha sido realizado nos 3 anos civis anteriores à candidatura.

 

Qual a nota mínima do ENEM?

Para que possas usar o ENEM para candidatura ao Politécnico de Coimbra, tens de ter uma nota média do ENEM superior a 500 e apresentares a nota mínima na(s) componente(s) específica(s) do ENEM exigida(s) para o curso que pretendes frequentar.

 

Não sendo possível a comprovação da qualificação académica específica através do ENEM, de que outras formas poderei fazê-la?

–  Apresenta documento emitido pelos serviços oficiais de educação do teu país onde conste a discriminação dos conteúdos programáticos (ementas) das disciplinas correspondentes às provas de ingresso exigidas para a licenciatura a que te pretendes candidatar e em que obtiveste aprovação no ensino médio. Esse documento será analisado pelo júri do concurso para determinar se há ou não equivalência de conteúdos lecionados no teu ensino médio e o nosso ensino secundário. Havendo equivalência, não será necessário prestares qualquer outra prova;

ou

–  Realiza os exames do Politécnico de Coimbra para Estudantes Internacionais, nos termos definidos pelo edital de abertura do concurso.

 

Onde são realizados os exames de ingresso referidos no ponto anterior?

Os exames são realizados em Portugal, na Escola do Politécnico de Coimbra a que te candidatas.

 

Quero ingressar num curso que requer a realização de pré-requisitos. Tenho de fazê-los em Portugal?

Sim, as provas de pré-requisitos são todas realizadas em Portugal, na Escola do Politécnico de Coimbra a que te candidatas.

 

Qual é a data para me candidatar ao concurso especial de acesso e ingresso para estudantes internacionais?

O período de candidaturas abre no início de cada ano civil e é divulgado no nosso site e nas redes sociais do Politécnico de Coimbra.

 

Tenho que ir a Coimbra para concretizar a minha candidatura?

Não. A candidatura é realizada online na plataforma disponível no link https://inforestudante.ipc.pt  e só pode ser submetida dentro dos prazos fixados para o Concurso em vigor no momento.

 

Os originais da minha candidatura têm de ser enviados por correio para fazer a candidatura?

Não. Toda a documentação necessária é remetida unicamente em formato digital através de upload na plataforma de candidatura online.

 

Como sei se fui aprovado?

Os editais de aprovação são disponibilizados no site do IPC, sendo que todos os colocados são também formalmente notificados por e-mail.

 

Quando se inicia o ano letivo em Portugal?

O ano letivo em Portugal inicia habitualmente em setembro e termina em julho.

 

Qual o custo de frequência de um curso de licenciatura no Politécnico de Coimbra?

A propina para estudantes internacionais no Politécnico de Coimbra poderá variar entre os 1.500€ e os 3.000€/ano, conforme o curso de licenciatura a frequentar.

 

Posso fazer o pagamento faseado da propina?

Sim, é possível o pagamento faseado de acordo com o Despacho de abertura do concurso.

 

Que apoios sociais posso ter?

Os estudantes internacionais beneficiam, a preço de estudante, dos serviços de restauração nas cantinas e do usufruto das instalações técnicas, desportivas e culturais da instituição. Podem ainda ter acesso às residências de estudantes aos preços fixados para alunos não bolseiros, mediante candidatura.

 

Já fiz um ano de faculdade no meu país, consigo aproveitar as disciplinas já concluídas?

Após realizar o teu ingresso, poderás solicitar a análise das matérias lecionadas e verificar se são ou não compatíveis para efeitos de creditação. Neste caso, terás de fazer prova do programa do teu curso, bem como do conteúdo das matérias de cada Unidade Curricular a que tencionas solicitar a creditação.

 

Estando a estudar em Portugal, posso também trabalhar?

Sim, podes trabalhar. O visto de estudante não é um visto de trabalho, mas depois de estares a residir em Portugal com um visto de estudante poderás requerer um visto de trabalho junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

 

O que preciso de fazer para requerer um visto e a autorização de permanência como estudante em Portugal?

Deves requerer o pedido de residência para frequentar um programa de estudos do ensino superior em Portugal junto do Consulado/ Embaixada Portuguesa mais próximo da tua área de residência. Depois, em Portugal, poderás requerer a Autorização de Residência junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

 

O que devo fazer quando chegar a Portugal?

–  Dirigir-te à instituição onde foste colocado para finalizares o teu processo académico e conheceres os procedimentos relacionados com o funcionamento do curso;

–  Requerer um número de identificação fiscal (NIF) junto da Autoridade Tributária;

–  Fazer o registo no Serviço Nacional de Saúde da tua área de residência;

Abrir uma conta bancária em Portugal;

–  Trazer sempre contigo e manter válidos os seguintes documentos:

a. Comprovativo de residência;

b. Comprovativo da matrícula;

c. Comprovativo de rendimentos durante a estadia como Estudante Internacional.